Produto mínimo viável na prática

Estudando um pouco mais sobre melhoramento da produção, me deparei com o seguinte gráfico proposto por Slack:

slack1Este quadro tem como objetivo apresentar as zonas de prioridades de melhoramento em uma empresa com base na importância deste para o cliente x seu desempenho no mercado (comparado à seus concorrentes).

A matriz mostra que as empresas que estão na área vermelha não conseguem atender as necessidades dos clientes e ainda tem um desempenho abaixo de seus concorrentes. Precisam melhorar urgentemente.

Já as empresas que estão na área verde atendem bem a demanda dos clientes, mas ainda estão piores que seus concorrentes, precisando melhorar alguns pontos.

Empresas que se encontram na área branca, conseguiram agradar os clientes e são melhores que seus concorrentes. Precisando apenas manter-se em estado de melhoria contínua.

Até  aqui tudo bem! Conseguimos compreender e acreditar que as empresas que mais precisam fazer alguma coisa para mudar são as que se encontram na área vermelha!

Mas, esta pode ser uma visão equivocada da matriz.

As empresas que ficam na área azul, de acordo com a metodologia lean startup, são as que precisam mudar com mais urgência. Porque? Simples: elas são muito melhores que seus concorrentes, mas não conseguem atender as necessidades dos clientes. Ou seja, são melhores naquilo que para o cliente não faz diferença nenhuma.

Desta forma, a empresa está desperdiçando recursos que poderiam ser usados no atendimento efetivo da necessidade do cliente!

Isto significa que a empresa investiu tempo e dinheiro para não oferecer nada a mais para seu cliente. Um exemplo bem simples: um restaurante faz uma reforma incrível em sua cozinha, troca os móveis, deixa o espaço para o cliente maior e mais confortável e não treina a equipe de garçons e como resultado um dos garçons derruba comida na roupa do cliente no momento de servi-lo. Pergunto: O que é mais importante para o cliente deste restaurante? Sair com a roupa limpa (ser bem atendido) ou sentar em uma cadeira nova?

Vejam, treinar a equipe também requer investimento. E neste caso específico era melhor gastar este recurso com o treinamento (que é importante) do que com cadeiras novas (que não farão o cliente voltar se ele foi mau atendido).

Não estou dizendo que as empresas que se encontram abaixo da linha da fronteira interior de aceitabilidade não precisam fazer nada! Elas precisam sim melhorar. Apenas estou chamando a atenção para um outro ponto de vista sobre a mesma matriz.

Quando falamos em lean startup de um MVP, o que estamos buscando é o produto inicial que se encaixe perfeitamente dentro da área branca.

Voltando ao exemplo do restaurante, de repente podemos iniciar um com 4 mesas e uma pequena cozinha, mas com uma equipe extremamente qualificada e pronta para atender corretamente seus clientes.

Se formos medir, este restaurante de nosso exemplo, ficaria na média ou um pouco abaixo que os concorrentes no quesito espaço físico, mas é algo que nossos clientes não se importam tanto (desde que esteja limpo, é claro). E estaríamos superiores no atendimento, que é algo muito importante para nosso público.

Por isto empreendedores, cuidado com o uso dos recursos. Eles são escassos! E quando mal investidos, se tornam gastos e não nos oferecem nenhum retorno!

 

Autor e Livro citado:
Nigel Slack – Administração da Produção

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *