A importância da definição do Portfólio

Por Sandra Elisabeth

O portfólio de uma empresa é um dos itens mais importantes a serem definidos no planejamento estratégico, afinal, a lucratividade de qualquer negócio vem da venda de seus produtos.

A decisão sobre o que será produzido de novo e o que será mantido do portfólio antigo é muito importante, pois conforme a inovação e a tecnologia avançam é necessário atualizar o produto ou retirá-lo do mercado.

A Matriz BCG auxilia bastante na classificação dos produtos existentes na empresa, porém ela apenas não basta para tomar as decisões, é necessário que o empreendedor se atente à:

1. Selecionar as áreas que estão no nascedouro ou em questionamento para decidir, a respeito de cada uma delas, se é o caso de se investir pesado, para que elas passem a ser estrelas em um futuro previsível, o mais rapidamente possível, ou, na impossibilidade, simplesmente descartá-lá;

2. Identificar as áreas que estão na situação de estrela para continuar reinvestindo nelas o que for necessário;

3. Identificar as áreas que estão na situação de vaca leiteira para cuidar muito bem delas e extrair o melhor resultado possível, durante o maior tempo possível, com investimento mínimo, apenas para sustentação;

4. Identificar as áreas que já se tornaram ou estão se tornando abacaxis ou cão de estimação, visando ao desinvestimento e à sua liquidação.

Com esta análise feita é o momento de partir para a ação e colocar o plano de portfólio em prática!

É muito importante ressaltar que é necessário manter peças de reposição e atendimento ao cliente para os produtos e serviços que serão descontinuados pela empresa , pelo menos durante o tempo que durar a garantia do último produto entregue ao cliente final, para evitar possíveis problemas entre clientes insatisfeitos e a empresa.

Formulando as Estratégias da Empresa

Por Sandra Elisabeth

Uma empresa pode desenvolver inúmeras estratégias, sempre dependendo dos objetivos traçados; alguns querem aumentar a demanda, outras o faturamento, algumas querem inaugurar uma nova planta, tem as que desejam entrar na lista de melhores empresas para trabalhar, internacionalizar o produto, enfim, perceba que a estratégia terá total ligação com o objetivo da empresa naquele período.

É claro que as empresas possuem mais de um objetivo e assim será necessário um plano mais alinhado para cada um deles.

Quando a empresa deseja, por exemplo, ampliar mercado e aumentar as vendas é possível utilizar estratégias de diversificação, decidindo se haverá desenvolvimento de novos produtos, se a estratégia será de penetração de mercado, de desenvolvimento de novos mercados ou ainda uma diversificação total, com inovações.

Uma ferramenta possível para facilitar o desenvolvimento desta estratégia é a Matriz de Ansoff.

Já quando a meta é expandir ou internacionalizar, é importante se atentar à busca de complementariedade tecnológica com outras empresas já estabelecidas no país onde se deseja chegar, desenvolvendo parcerias, participando de redes e ainda compreender como funciona o sistema de transporte do país.

Para os que desejam melhorar a relação com o cliente é necessário ter na estratégia a forma de como o cliente será ouvido, como encantar e surpreender o cliente e também criar as formas de atende-los para que isto aconteça.

Há ainda as que buscam melhorar a qualidade dos produtos, e para isto é necessário definir o que é qualidade para a empresa, qual a porcentagem possível de erro, identificar quem são os melhores do setor e saber o que estão fazendo, ou seja, fazer um benchmark, e claro identificar os responsáveis por garantir a qualidade.

Ou seja, para cada meta e objetivo é necessário desenvolver uma estratégia com dados, informações e planos específicos para que fique prático e de fácil implementação!

Marketing e desenvolvimento de produto

Vamos começar pelo básico: O que é Marketing?

Segundo Kotler e Keller (2006) o marketing envolve a identificação e a satisfação das necessidades humanas e sociais, sendo definido de uma maneira simplista pelo autor, como uma forma de suprir necessidades lucrativamente.

Eu concordo com Kotler, quando usa esta definição, afinal ele é conhecido como o “Pai do marketing”.

Mas porque será que ainda existem profissionais renomados que acham que Marketing é comercial de TV ou propaganda nos meios de comunicação?

Será que falta conhecimento? Falta pesquisa? Ou falta entendimento?

O fato é que o Marketing é um dos setores responsáveis pelo desenvolvimento de produtos nas empresas e o motivo é óbvio e está na definição do que é marketing: identificar e satisfazer as necessidades humanas e sociais.

Por identificar, segundo o dicionário, entende-se um verbo transitivo direto e pronominal que significa: “dizer quem é; determinar ou comprovar a identidade de (algo, alguém ou de si mesmo)”.

E satisfazer é um verbo transitivo indireto que significa “procurar a satisfação, a saciedade, a posse”.

Sabendo o que significa Marketing – dizer o que o cliente quer ter posse – fica claro que é este departamento que dirá ao desenvolvimento de produto o que deve ser produzido.

Observe que este é o primeiro passo no marketing; depois ele ainda vai dizer como deverá ser vendido, onde o público alvo está, qual será o preço de venda e como se comunicar com este público.

Por isso alguns cursos de engenharias têm a disciplina “Marketing e desenvolvimento de produto”, já que estes engenheiros precisam aprender:

  • O que ‘cobrar’ do departamento de marketing;
  • Quais informações precisam ter para desenvolver um produto novo;
  • A tendência de mercado;
  • O limite de custo do produto (para não custar mais do que o cliente está disposto a pagar);
  • Onde está o cliente para ajustar a logística; etc.

O que um engenheiro não precisa saber:

  • Como preparar um briefing de marketing;
  • Fazer um comercial de TV;
  • Criar um post de propaganda;
  • Lidar com as redes sociais;
  • E outras atividades ligadas ao P de Promoção.

Tudo isso é função do departamento de Marketing e digo mais, é função da agência de comunicação contratada por este departamento. Um publicitário leva de 4 a 5 anos para se formar e se especializar em fazer tudo isso!

Porém, o P de Produto deve ser de conhecimento e habilidade do engenheiro que desenvolverá este em parceria com o departamento de Marketing, já que este é quem domina a técnica de fabricação do bem material.

Em resumo, não dá para confundir os papéis de cada departamento, pois são interdependentes e interagentes entre si, ou seja, apesar de serem ‘ligados’ e depender um do outro, algumas ações e atividades serão feitas com independência.